segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

COMPONDO CONTIGO




Imagem Google 


COMPONDO CONTIGO
Ysolda Cabral



No conjunto conjugo,
comungando contigo,
um verso piegas e afirmo:

No conjunto confuso,
há um quê de não sei quê,
talvez de insolúvel mistério,
que te deixa maluco...
Meu mérito!

No conjunto contido,
ainda não exposto no todo,
o amor é o tema por ti escolhido.

Eu, sentimento legítimo,
toda sorriso,componho contigo. 

**********

Praia de Candeias-PE
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor.

Para escutar a canção de fundo, acesse:


Código do texto: T6258425 
Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

FANTASIAS NOS VARAIS



Imagem Google 

FANTASIAS NOS VARAIS
Ysolda Cabral



Eis que é chegado o Carnaval.
Coloridas fantasias nos varais,
de intrincado feitio artesanal,
tremulam ao Vento nos canais.

Penso no amor incondicional,
sorrindo e chorando meus ais.
Lembranças de uma Catedral,
em ruína, de outros carnavais.

Ah, saudades tão dolorosas!...
Elas entristecem meu coração,
ao olhar as árvores frondosas.

Tempos purificados pela emoção,
quando a poesia era amorosa,
mas explícita de louca sedução.

*********

Praia de Candeias-PE
Em 08.02.2018
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor.

Para escutar o fundo musical, acesse: 

Código do texto: T6249479 
Classificação de conteúdo: seguro

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

ANUNCIAÇÃO



 

Imagem Google 


ANUNCIAÇÃO
Ysolda Cabral


Tanta vida que eu não vivo!
Viver assim é ruim demais.
As marchinhas de carnavais,
eu apenas finjo que não ligo.

Confesso que mexem comigo.
Meu amigo, são tão especiais!
Tocando em todos os locais,
convém procurar um abrigo...

A prova de som é fundamental.
Portas e janelas bem fechadas!
Caso contrário, caio no Carnaval

de alegre Colombina fantasiada,
sem, contudo, ser mulher fatal,
não importa como serei anunciada.

**********
Praia de Candeias-PE
08.02.2018
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor.



Código do texto: T6248599 
Classificação de conteúdo: seguro

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

A TENTAÇÃO DO FREVO ( Crônica)






Imagem Google





A TENTAÇÃO DO FREVO
Ysolda Cabral



É incrível como toda a Região Metropolitana do Recife respira Carnaval. E, não é tão somente por aqui! Soube que a minha terra natal, Caruaru, está pegando fogo. Inclusive, já está sendo considerada capital do frevo também. - Recife, Olinda, Jaboatão, fiquem espertas! Afinal, Caruaru é “País.”

Contudo, como estou aqui afirmo que, o Carnaval vem se manifestando e ditando ordens desde o dia primeiro de janeiro último. Nunca os blocos desfilaram tão cedo colorindo, alegrando, acertando o passo, os espaços, o ritmo, o frevo! Exceto o Galo, que se prepara para o seu cocoricó gigantesco, no próximo sábado - de Zé Pereira -, e no mais absoluto segredo.

Entretanto, as galinhas, já prontas, muito belas, provocantes e convidativas, em pontos estratégicos de toda Região, aguardam ansiosamente o Galo passar. Enquanto isso não acontece, elas vão seduzindo poetas, artistas, intelectuais, foliões, ou não, que não param com as selfies

- Tempos difíceis para quem não quer e não pode brincar o Carnaval!...

E, como se não bastasse, no trabalho, inventaram de colocar este ano, na TV Mural, de fundo musical, o frevo pernambucano. Toda vez que eu passo por uma delas, lá vem o '' PA RA RA RA RA RA RÁ”, de PROPÓSITO, somente para me lembrar que sou de outros carnavais.

- Que maldade!






**********
Praia de Candeias-PE
Em plena semana pré-carnavalesca
05.02.2018
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor.



Código do texto: T6246105 
Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

QUASE FIQUEM SEM O MEU SORRISO ( CRÔNICA )






QUASE FIQUEM SEM O MEU SORRISO
Ysolda Cabral 



Fazia tempo que eu não tinha uma noite de sono tão tranquila. Claro que acordei leve, descansada e muito feliz. Cheguei ao trabalho distribuindo sorrisos de bom dia para todo mundo. Confesso que alguns sorrisos se perderam em rostos cansados, tristes e vazios; já outros se juntaram aos meus e transbordei de alegria pelo reencontro de cada manhã.

E foi assim que o meu dia hoje começou e nem, sequer, me deixei perturbar por aquele ''coleguinha'' que vive a me agradar, visando ser meu genro. - Imagina!!! Sempre que olho para ele, bato na madeira três vezes! - Sabe um cara que não serve para genro de ninguém?! ''Feio'' demais, galinha demais, enrolão demais e por aí começa o seu triste retrato. - Ah, Arnaldo!...

Até que precisei ir ao primeiro pavimento resolver uma pendência, e na volta, quando fui entrando no elevador, vi chegando uma garota que eu não conhecia, (portanto não poderia estar com raiva de mim), sorrindo lhe dei bom dia e educadamente segurei a porta para que entrasse. Ela não me sorriu de volta, não agradeceu e nem respondeu ao meu cumprimento. - Tudo bem!

Acionando o meu andar, perguntei qual era o dela e ela respondeu ser o mesmo meu. Subimos caladas. Quando chegamos, lhe fiz mais uma gentileza; deixei que saísse primeiro e logo em seguida saí. Foi então que quase se deu uma tragédia: ela abriu a porta de acesso ao corredor e não a segurou para que eu passasse!

- Ah, se eu não tivesse um reflexo tão rápido e preciso, no mínimo teria ficado definitivamente sem o meu sorriso!

Se fiquei com raiva? - Lógico que não! Entretanto, segui pelo corredor sorrindo e cantarolando baixinho uma canção que cantava para as minhas ''coleguinhas'' quando eu era criança e que dizia assim: ''Tá com raiva de mim? E quem se importa? bata a cara na porta, até ficar torta...''

- E o meu dia continua lindo e o meu sorriso intacto, graças a Deus!

**********

Praia de Candeias-PE
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor.



Código do texto: T6243411 
Classificação de conteúdo: seguro

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

MUXOXOS MEUS ( CRÔNICA )




Imagem Google 


MUXOXOS MEUS
Ysolda Cabral



Talvez pela proximidade do Carnaval, o moço da padaria tenha me dado um bom dia tão animado. Respondi no mesmo tom, porém pensando com meus botões que o dia nem parecia tão bom assim.

Amanheceu meio nublado e eu ainda um pouco resfriada, o corpo cansado, a mente um tanto turva, piorada pela noite insone e pelo fato de não ter condições de faltar ao trabalho posto que, sou uma aposentada que precisa trabalhar e receia a reforma da Previdência, ao mesmo tempo em que, se anima e se orgulha dessa possibilidade. - É que a reforma vai tirar o Brasil do atoleiro. - Viva!

Mas, deixando os devaneios de lado e voltando à crônica... 

Um ''bom dia'' animado assim, para quem? Só se for para os mesmos e me resiginei a longa espera tendo em vista que, quando cheguei, o funcionário já estava atendendo uma entojada, com sotaque de lugar não identificado, que queria, por que queria coisas que a padaria não tinha. Tipo: pão feito de não sei o quê, de não sei onde; queijo dos Alpes Suíços, presunto de Parma - um dos presuntos mais famosos da Itália, e, a cada negativa do atendente, ela balançava a cabeça indiginada, entortando a boca. - Isso na minha terra se chama muxoxo. 

Como não sou intima da paciência e queria apenas meio quilo de queijo do coalho, feito em qualquer lugar do alto sertão, ou não, bem como, uns quatro pães; interrompi a "peleja" pedindo alto e em bom som: – Ô, esse menino, por favor! Quatro pães francês de Candeias mesmo! E, no lugar do queijo, pedi mortadela, só para provocar a entojada que me olhava com desdém. O funcionário não se fez de rogado e mais que depressa me atendeu, aliviado de se livrar dela. - Eu acho!

Dirigi-me ao caixa e arrisquei uma olhada de soslaio na dita cuja. Ela, vermelha de raiva, ajeitando a saia curta e justíssima, estava indo embora, encarando o desafio de se equilibrar nos altos e finos saltos, dando muxoxo até para a calçada de piso irregular.

Caímos todos na risada. E, não é que o dia me pareceu bem-bom!

Quanto a mortadela? - Comi e com muito gosto. Fazia anos que eu não provava tal delícia. E foi assim que, de repente, não mais que de repente, me ocorreu a seguinte possibilidade: será que o homem que quer, por que quer uma mulher, de conduta duvidosa, como ministra do trabalho, e tapar os roubos dos seus pares com a reforma da Previdência, já comeu mortadela algum dia? 


Muxoxos meus...


**********

Praia de Candeias-PE
31.01.2018
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor.


Código do texto: T6241431 
Classificação de conteúdo: seguro

sábado, 27 de janeiro de 2018

VELHA E CANSADA, JAMAIS! (CRÕNICA)



Imagem Google 



VELHA E CANSADA, JAMAIS!
Ysolda Cabral



Quem quiser diga ser preguiça. Eu digo que é cansaço o fato de num dia de sábado eu não me animar para fazer nada, absolutamente nada. Antes, cedinho da manhã, eu corria para praia, caminhava, nadava e ao voltar para casa fazia o almoço enquanto faxinava, colocava a roupa na máquina e depois no varal... - Pense numa dona de casa biônica e eficiente!

Como eu dava conta de tudo e ainda de marido, de filha e a noite estava pronta e arrumada, de unhas feitas, - por mim, diga-se de passagem -, para ir ao teatro, ao cinema, ou a outro lugar qualquer?.. E, o mais impressionante é que ainda encontrava tempo para escrever alguma crônica, alguma poesia, ou pegava o meu velho violão e muitas vezes compunha uma canção. - Como eu conseguia tudo isso e em um só dia, levando em consideração que durante a semana também trabalhava fora e às oito horas?! - Hoje só trabalho seis.

Evidentemente que o marido ajudava em alguma tarefa, mas depois do divórcio passei a dar conta de tudo e até com mais disposição e alegria.

Em alguns períodos, até longos, tivemos uma ou outra funcionária, de carteira assinada quando ninguém era obrigado a fazer isso, mas não gostava muito por achar que tiravam um pouco da nossa privacidade. No fundo eu sempre gostei de dar conta de tudo sozinha mesmo.

Hoje não dou conta de quase nada, mas também não quero ajuda. - Ninguém toma conta de uma casa como eu tomava e de vez em quando ainda tomo, em raros momentos de disposição.

Tem gente que não tem cansaço quase nenhum! Fico admirada, mas nem coragem de invejá-las, uma inveja boa e produtiva, eu tenho!

- Ah, acho que fiquei foi muito preguiçosa mesmo. Minha irmã Iris tem razão.

- Velha e cansada, JAMAIS!

**********

Praia de Candeias-PE
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor.



Código do texto: T6237744 
Classificação de conteúdo: seguro

Comentário de Iris deixado no Face, digno de destaque:

''Mas quando chega aquela vontade de faxinar, mudar tudo do lugar, limpar varrer e cozinhar ninguém aguenta teu tranco. Só nos resta dizer : Nossa Senhora lá vem ela !!!!!!!!!kkkkkkkk''