quinta-feira, 21 de setembro de 2017

PRENÚNCIO DE PRIMAVERA



Imagem Google


PRENÚNCIO DE PRIMAVERA
Ysolda Cabral


Hoje, os passarinhos se recolheram mais cedo, e, por incrível que possa parecer, o silêncio pairou no Entardecer, tal qual o Beija -Flor paira sobre o dulcíssimo néctar da Flor. - Exultei!

Diante de tanta beleza, de tanto amor pela Vida, justo no primeiro dia que a Primavera se anuncia, a Brisa, mãe do Vento, acha de me trazer o cheiro do Mar, com esmerada suavidade, para não tirar o perfume das tantas rosas que me destes, em forma de prosas, versos e cantigas que cantastes, bem junto ao meu ouvido, em todos os arrebóis do nosso “Mundo Poesia”.

Ah, senti minha alma flutuar! E flutuou até a tua e ali permaneceu longo tempo a folhear o “nosso livro”, como tu dissestes ontem mesmo para mim; somente para lembrar que nos fizemos eternos.

- Que venha mais uma Primavera!

**********
Praia de Candeias-PE
21.09.2017
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.

Para escutar a música de fundo acesse:

Código do texto: T6121076
Classificação de conteúdo: seguro

RETRATANDO O MOMENTO




RETRATANDO O MOMENTO
Ysolda Cabral 



Fico impressionada como o sono adora atrapalhar minhas sessões de cinema... Ora, saio do trabalho sonhando em chegar em casa para depois de um bom banho, um lanchinho caprichado, me jogar no meu velho e fofo sofá, munida de dois controles remotos, disposta a assistir tantos filmes o sono deixe, e ele nunca deixa. - Que coisa! Fica querendo me levar para cama a todo custo! E, finalmente, quando consegue, vai embora me deixando a noite toda a sua espera. - Como entender uma coisa dessas?!

Ontem não foi diferente. Contudo, não liguei e aproveitei a sua ausência para me deixar levar pelos pensamentos…

- Ah, como é bom no silêncio da noite você seguir para um novo amanhecer, com a consciência de ter caminhado até aquele momento em linha reta, apesar de todas as dificuldades e dos altos e baixos que a vida lhe impõe! Saber que o novo dia pode mudar tudo e que notícias boas ainda são possíveis; é ter amor pela Vida e nela acreditar.

Como é bom saber que, apesar dos terremotos, dos furacões, de um coreano louco testar mísseis pondo em risco a vida de todo o planeta; apesar de tanta violência, de tanta desonestidade e falta de caráter, principalmente dos nossos políticos; e, ainda; apesar de tanta modernidade, - que não alcanço, compreendo -, apesar de tudo isso; ainda nos resta a esperança…

- Ah, esperança! Essa que nunca morre, só nasce! E, desta feita nasceu, em 18.09.2017, às 06h26m, advinda do amigo e colega de trabalho, Carlos Artur Vital, que ao se casar ainda adolescente, com a sua Rosângela, pensava logo em ter um filho e fazer dele um ser humano inteiro, verdadeiro, de valores íntegros, sem crises de identidade ou gênero…

Entretanto, se passaram muitos anos e o filho tão sonhado só chegou agora. Chegou forte, com muita saúde, distribuindo alegria, amor e esperança de um mundo melhor, mais justo, mais equilibrado e de muita paz e harmonia entre todos nós.

- Artur Gabriel, com as bênçãos e a proteção de Deus, seja muito bem-vindo!

**********

Praia de Candeias-PE
20.09.2017
Apenas Ysolda


Código do texto: T6119850 
Classificação de conteúdo: seguro

domingo, 17 de setembro de 2017

ALMA BEIJA-FLOR




ALMA BEIJA-FLOR
Ysolda Cabral 



Repleta de amor,
minha alma paira no ar
tal qual beija-flor.

Um beija-flor bonito,
das cores do arco-íris,
de aguçados sentidos.

Sem medo do Vento,
sem medo do Tempo...
Ela é do jeito que invento.

Mas é tão só!

**********

Apenas Ysolda 

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

ODALISCA


Imagem Google


ODALISCA 
Ysolda Cabral


Na última semana de inverno,
entre sol forte e muita chuva,
nem tão fresca, tanta rusga;
a paisagem é do quero-quero.

Do harém, atrevida odalisca,
se oferece para versos iscas.
E, ao ficar exposta na calçada,
tenta passar por rosa casta.

Ah, triste e equivocada esquina!
Encruzilhada de meninos e meninas...
Inválida, mas propícia à fantasia;
lá está ela a espera de inspirar poesia.

Da última desastrosa paixão,
que se apresentou tipo carente,
de solidão dividida e reticente;
nem percebeu a cruel enganação.

Somente por caridade,
dela eu tenho compaixão! 

**********

Praia de Candeias-PE
14.09.2017
Apenas Ysolda 

Para escutar a canção de fundo acesse:

Código do texto: T6114177 
Classificação de conteúdo: seguro

domingo, 10 de setembro de 2017

O MEU DIA FOI ASSIM


Imagem Google


O MEU DIA FOI ASSIM 
Ysolda Cabral



Pela manhã, depois de dois dias de descanso, me sentindo enternecida por um Tempo indeciso que me obrigou a ficar em casa, resolvi compor poesia. - Não no celular! A poesia composta no celular me parece sem alma, descomposta... Sei lá! 

Gosto de escrever no papel e sentir a suavidade e delicadeza com que recebe os versos capengas que vou lhe confiando. Contudo, no computador, acho melhor. - É que adoro imprimir o meu pensamento em seu teclado, vê-lo concretizado na tela, de onde o envio para o mundo. Fazendo tudo isso em companhia de minhas canções prediletas. 

Mas, enfim, com o Tempo indeciso, me sentindo inspirada, descansada, desliguei o celular, para não perturbar, e ao visualizar o cursor na tela, a pulsar no mesmo compasso do meu coração, fiquei tão feliz! - Entretanto, logo fiquei triste: o PC havia voltado da autorizada sem som. 

– Como escrever, compor, fazer alguma coisa, sem música?

Liguei para o técnico e ele me mandou baixar um programa para que o PC "voasse", pelo espaço virtual, até o dele, e assim, ser consertado de lá mesmo.

Enquanto o PC "voava" silenciosamente, fui até a geladeira pegar um copo d’agua, e ao voltar para onde eu estava, quem bebeu água foi o teclado, e justo na hora que o PC pousava ruidosamente de volta para mim. - A essas alturas quem voou foi a minha inspiração.

O dia passou, a noite chegou, a poesia não aconteceu... O Silêncio que paira no ar suplica orações por nossos irmãos que estão sob ameaça dos furacões Irma, Kátia e José. 

O dia não rendeu poesia, nem poderia, mas rende agora muita oração. 

********** 

Praia de Candeias-PE
 09.09.2017 
Apenas Ysolda 
 Código do texto: T6109411
 Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

MAR DE RECORDAÇÃO




A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, sapatos e atividades ao ar livre


Imagem Google  

MAR DE RECORDAÇÃO
Ysolda Cabral


No turvo mar de recordação,
vou e volto ao meu passado. 
Sinto saudade! Sou emoção,
nas escolhas que faço!...

Sorrio com a minha solidão.
Ela não me é nenhum fardo!
E em perfeita comunhão,
seguimos passo a passo.

Entre o passo certo e o errado,
há um desassossego velado...
Como é fácil perder o equilíbrio!

Contudo, caminhando com cuidado,
é sempre possível fugir do sombrio,
tendo fé e fazendo jus ao aprendizado.

**********
Praia de Candeias-PE
Reflexões de fim de tarde
08.09.2017
Apenas Ysolda 

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.
www.ysoldacabral.prosaeverso.net


SAUDADE - YSOLDA CABRAL E ODIR MILANEZ

A imagem pode conter: texto e água




A saudade é companhia 
que traz junto a tristeza
que adora tirar nossa alegria
e da nossa vida a beleza 

( Ysolda Cabral ) 

A saudade é metade
do que fomos nalgum dia
quando, ao invés de saudade,
rimos da vida a alegria! 

( Odir Milanez )


'' Mundo Poesia de Ysolda Cabral " 
 Facebook -  07.09.2017