domingo, 5 de novembro de 2017

SÁBADO DE SAUDADE

A imagem pode conter: oceano, céu, nuvem, atividades ao ar livre, natureza e água


IMAGEM GOOGLE 


SÁBADO DE SAUDADE 
Ysolda Cabral



Sábado... É tarde!
Tarde vestida pelo brilho do Sol,
azul e branco do Céu...
Canto uma canção em Lá Maior.

O Mar, mistura de Terra e Céu,
espia de lá... Repara! 
Penso em botos e sereias...
Serenatas ao luar...
- Existem aqui e lá?

Lá no outro lado do Céu,
onde não há mais dor,
onde só o amor vigora
no sempre do agora...

É Sábado...
Sem manhã, tarde ou noite...
Sem Vento inspiração,
a deixar a Brisa acariciar o Tempo,
que dorme eternidade,
num sábado de saudade.

*********

Praia de Candeias-PE
04.11.2017
Apenas Ysolda

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

ESPAÇO TEMPO


Imagem Google 



ESPAÇO TEMPO
Ysolda Cabral


A tarde cai silenciosamente,
sem o canto de passarinho,
sem tempo frio ou quente...
Sinto o Vento tão quietinho!


Nada ocorre em minha mente...
Só o desejo de ter o seu carinho
em versos, sem nexo, que invento,
para me fazer feliz um pouquinho.

Ah, estranho silêncio que magoa!
Traz saudade e muita tristeza...
Uma tristeza que na noite ecoa.

Contudo, paro e olho a beleza
da Lua, e o pensamento voa, voa...
No espaço Tempo; há tanta leveza!

**********

Praia de Candeias-PE
31.10.2017
Apenas Ysolda

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

ÚLTIMO ADEUS AO MEU POETA ODIR MILANEZ - OKLIMA

Praia de Candeias, 27 de outubro de 2017.



Meu Poeta,

Você não imagina o quanto dói saber que você hoje se foi para a casa do nosso Pai, apesar de você ter me dito, ainda ontem mesmo, do seu enorme cansaço de lutar numa luta tão desigual. Mas, tanto eu, quanto você, sabíamos que essa luta iria até quando você estivesse pronto. E que guerreiro valente você foi! Ah, meu poeta preferido e tão amado, como você fará falta! Dizer da minha tristeza eu não saberia, mas sei dizer da honra e da alegria que foi dividir com você tantos trabalhos, também desiguais. Desiguais sim! Sei que você não gostaria de ler isso, mas sua poesia era perfeita e seus sonetos, verdadeiras obras de arte. A Literatura basileira fica hoje mais pobre e a minha poesia tão sozinha! 

E, para lhe homenagear, reedito um dos nossos primeiros duetos, aproveitando para, mais uma vez, registrar a minha admiração, amor e gratidão a você que, para mim, foi e sempre será o maior Poeta da atualidade brasileira. 

Sua musa-sorriso,

Ysolda Cabral 

___________________________________________




EU, YSOLDA CABRAL


Sou matuta nata de Caruaru
Nascida em vinte e dois de abril
Feia e mal apanhada
Diz todo mundo que viu

Com o tempo fui melhorando
E tal qual um passarinho
Aprendi fazer biquinho
E a todos fui conquistando

Quando cheguei à puberdade
Achavam-me uma beldade
Porém eu não gostava
E com a fealdade eu sonhava

Até que cheguei numa idade
De achar tudo besteira
Pois o que vale na verdade
É a minha essência fagueira 

Hoje sou o resultado
De tudo que nunca quis
Porém o meu amado
Sabe que sou feliz. 

**********
Recife - PE
14.08.2012
Apenas Ysolda 







EU, ODIR MILANEZ


Sou leva do longe do tempo,
que é breve,
e escrevo o que escreve
o destino de mim. 

Sou feito do fim,
a partir do começo,
por isso me esqueço
dos dons de onde vim.

Sou crente da crença
dos credos antigos,
das mãos dos amigos
que a vida levou.

Sou forma imperfeita 
de forma incompleta ,
apesar do poeta
que abrigo no peito.

Eu sou a desfeita
que foge ao primor,
sou cria do amor
em cópia mal feita.

Eu sou o não sou,
das sobras desenho,
sou eu que me venho
do que me restou...


JPessoa/PB
15.08.2012
oklima

**********

Ysolda Cabral e Odir Milanez
Enviado por Ysolda Cabral em 14/08/2012
Código do texto: T3829750 
Classificação de conteúdo: seguro

Ysolda Cabral

Reeditado em 27/10/2017
Código do texto: T6154917 
Classificação de conteúdo: seguro

sábado, 21 de outubro de 2017

NUMA AURORA BOREAL



Imagem Google 


NUMA AURORA BOREAL
Ysolda Cabral



Preciso me desligar do mundo real.
Será por pouco tempo. Eu prometo!
Não! Não estarei no mundo virtual.
Esse mundo começa a me dar medo.

Preciso de numa aurora boreal,
ser levada ao mundo do soneto.
Que nele não haja nada surreal,
mesmo sendo visitado tão cedo.

Cedo até para todos os pássaros,
que pernoitam nas redondezas,
indo embora antes do dia claro.

Quando voltar, volto com a certeza
de ter composto, num mundo raro,
versos puros de amor e de beleza.

**********

Praia de Candeias-PE
21.10.2017
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor. 

Para escutar a canção de fundo, acesse:


Código do texto: T6149266 
Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

O INSONDÁVEL - PELO DIA DO POETA




Imagem Google


Arremedo de poesia em reverência ao '' DIA DO POETA'' 

Aproveito para parabenizar Poetisas e Poetas aqui presentes com suas belíssimas obras.

__________________________________


O INSONDÁVEL
Ysolda Cabral


Por trás da fealdade,
está a beleza...

Por trás da fragilidade,
está a fortaleza...

Por trás do medo,
está a coragem...

Por trás da lágrima,
está o sorriso...

Por trás da mentira,
está a verdade...

Por trás da verdade,
está a vontade...

Por trás da vontade,
está a impossibilidade...

Por trás da bondade,
está a maldade...

Por trás da maldade,
está o arrependimento...

Por trás do arrependimento,
está o perdão...

Por trás do perdão,
estão o conforto, o confronto...

Por trás da palavra,
está o pensamento...

Por trás do pensamento,
está o sentimento...

Por trás do sentimento;
eu e você.

Por trás de nós dois,
está a Poesia...

Por trás da Poesia,
está a realidade ilusória...

Por trás da realidade ilusória,
está a Vida...

Por trás da Vida,
está a morte...

Por trás da morte;
o desconhecido insondável.


**********

Praia de Candeias-PE
Em reverência ao "Dia do Poeta" 
Apenas Ysolda

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor. 
20.10.2017

Para escutar a canção de fundo, acesse:

Código do texto: T6148225 
Classificação de conteúdo: seguro

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

PEDRA DA INCERTEZA ( CRÔNICA)



Imagem Google
__________________________


PEDRA DA INCERTEZA
Ysolda Cabral 


Sempre confiei em minha cabeça mais que em qualquer outra. Não sei se por ter uma cabeça boa mesmo, ou se por força da minha profissão. O fato é que nunca precisei muito recorrer à agenda para lembrar os compromissos diários. Claro que consultava! Contudo, se não a tivesse por perto, não me atrapalharia de jeito algum. Além de uma cabeça boa, o senso de responsabilidade, extremamente apurado, não me deixaria esquecer absolutamente nada.

O Tempo passa e vai levando uma porção de coisas da gente. E, mesmo que ainda não tenha levado muito de mim, começo a desconfiar da minha cabeça e isso tem me deixado acabrunhada. - Se não o tempo, o fato...

E o fato é que hoje, bem no meio do caminho, surgiu uma pedra: a pedra da incerteza. - Teria eu desligado o ferro, após passar a blusa que vestia? - A única alternativa era voltar para casa e verificar, mesmo isso significando um transtorno enorme no meu dia mal começado.

Bom, ao chegar atrasada no trabalho, depois de contar o sucedido aos colegas, todo mundo queria saber somente uma coisa: o ferro estava ligado ou desligado?

Foi quando comecei a refletir que, independente de como ele estivesse, minha cabeça já não estava tão boa! Concluí. Pois, se, apenas se, o ferro estivesse ligado; eu havia esquecido de desligar. E, se tivesse desligado, eu havia esquecido que fiz isso. Em ambos os casos eu tinha motivo para me preocupar, apesar de ter lembrado de usar o ferro, e de lembrar que não lembrava de tê-lo deixado ligado, ou desligado. Isso significava que, pelo menos, o senso de responsabilidade ainda estava intacto. Senti certo alento, mas não me livrei da preocupação...

Eis mais um aspecto da chegada da ''boa idade''! Se não fosse por ela, um acontecimento desses seria perfeitamente normal, principalmente nos dias de hoje que os jovens esquecem até deles mesmos.

- Melhor marcar logo uma consulta com um especialista, antes que eu termine como a mãe da Danny, minha colega de trabalho, que, ontem mesmo, interrompeu uma reunião de diretoria, dizendo ser assunto de máxima urgência e importância, para saber da filha se no capítulo da novela ''A Força do Querer'' a psicopata Irene, personagem da Débora Falabella, havia mesmo morrido.

- Eu posso com uma coisa dessas? 

Vou correr para o médico.

**********

Praia de Candeias-PE
19.10.2017
Apenas Ysolda

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.


Código do texto: T6147323 
Classificação de conteúdo: seguro

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

PELO DIA DO MÉDICO...


Imagem Google


PELO DIA DO MÉDICO...


Abençoado é o médico
que tem Deus no coração,
pois não existe remédio,
que cure sem oração.

*****

Ao médico amigo,
que cuida de mim,
falando paciente comigo,
quando estou assim,assim.

**********

Praia de Candeias-PE
18.10.2017
Apenas Ysolda 

Código do texto: T6146285 
Classificação de conteúdo: seguro